terça-feira, 17 de abril de 2012

Economizar para que?

Olá! 
Tenho andado sem tempo para escrever, não tenho conseguido dar ao blog a dedicação que eu gostaria. Porém não abandonei o controle das minhas finanças. Ao contrário estou bastante interessada em melhorar os meus conhecimentos a cada dia.

Tenho repensado a minha condição financeira atual e a maneira como tenho lidado com ela. Digo isto porque, quando comecei a me interessar por educação financeira eu estava totalmente endividada e o meu foco era apenas pagar dívidas.

Para alcançar o objetivo de saldar uma dívida de R$ 27.000,00 eu usei várias estratégias e consegui fazer sobrar dinheiro: Mudei marcas de produtos, não comprei roupas, fiquei sem internet, sem carro por 2 anos, entre tantas outras estratégias para chegar ao meu objetivo. E eu consegui.
Foram três anos de total economia, e a partir daí adquiri uma habilidade em economizar.

Passado esta fase, comprei roupas, carro e fui aos poucos retomando as coisas que eu havia deixado de lado por causa das dívidas, e tudo com muita dificuldade porque um ex-endividado não consegue fazer compras com tanta facilidade, a gente fica com uma espécie de "síndrome da culpa" sabe?
Mas, esta fase da culpa também já passou. 

Agora eu me pergunto: continuar economizando para que?

Fiquei pensando que se não tomar cuidado vou economizar para gastar.
Economizo na roupa, para comprar o sapato e por aí vai.

Quero aproveitar os conhecimentos que adquiri numa época tão difícil para realizar algo mais nobre do que pagar dívidas.
Quero pensar em maneiras de fazer sobrar dinheiro para investir.

Notei que precisava de novas estratégias para continuar a caminhada para uma vida financeiramente saudável ( o que trará saúde para outras áreas também)
Então eu tomei a decisão de estar sempre atenta, aos descontos que consigo, às mudanças de hábitos que adquiro e ao invés de apenas economizar vou transformar estes descontos e economias em poupança.

Se eu resolver comprar algo e de repente mudar de ideia, quero guardar o valor que poderia ter gastado. E isto para mim será um exercício.

Ah!  já comecei tá.
Decidi no início do ano, que não terei ninguém para me ajudar no serviço doméstico, ( o que para mim significa não ter uma faxineira uma vez por mês). Já que eu poderia usar este dinheiro e não vou, também não vou economizar para gastar.
Estou fazendo uma poupança com o valor que pagaria à faxineira, e para não correr o risco de não ser fiel e também como exercício, deixei o valor agendado por dois anos para ser creditado na poupança .

A ideia é esta: pensar em alguma coisa que pode deixar de ser feita e transformar em poupança. 

E você? Já faz isto? Compartilha então, eu adoro novas ideias.

Obs: Sei que isto não é nenhuma grande descoberta, mas em uma sociedade como a nossa, onde gastar parece ser imperativo, é sempre bom ficar atento não é?

Isto é tudo por hoje,
Quem bom que você veio, volte sempre... e traga um amigo.

Grande abraço!